Zur Navigation | Zum Inhalt
FVCML0208 10
Uso do Bubble Dialogue na intervenção terapêutica com um jovem com Síndrome de Asperger PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Rita Santos   
Sexta, 21 Outubro 2011 10:39

Neste artigo apresentamos uma experiência com recurso a software específico que obteve resultados positivos no apoio a um adolescente com síndrome de Asperger.

Logo Bubble DialogueBubble Dialogue é uma aplicação que foi desenvolvida pelo Language Development and HyperMedia Research Group na University of Ulster em Coleraine. Utiliza imagens de personagens de desenhos animados ou outras numa situação de promoção de diálogo. Os intervenientes concretizam o diálogo através de balões que surgem em cima das cabeças dos personagens. Cada troca de diálogo consiste num balão de fala em cima de um personagem e um balão de pensamento sobre o outro. A próxima cena inverte este padrão, com o segundo personagem a falar e o que falou primeiro . Desta forma, incentiva-se a separar sentimentos não verbalizados da comunicação falada. Novamente, esta ferramenta aplica-se à visão construtivista que o significado é um processo socialmente negociado, e pode ser usado para incentivar a compreensão das múltiplas perspetivas.

Este programa permite portanto criar diferentes situações em que os personagens dialogam, sendo possível aos interlocutores preencher balões de conversação e de pensamento bem como, proceder à gravação áudio e impressão do material produzido para posterior análise e debate.

Um exemplo de utilização deste programa foi a intervenção com um jovem com Síndrome de Asperger. O acompanhamento visou a mobilização e organização das funções cognitivas, pela solicitação do uso da linguagem oral na antecipação e avaliação das propostas efetuadas. Inicialmente foram utilizadas imagens de situações problemáticas para identificar, sequenciar e resolver usando o role-playing. Numa fase posterior, tendo em vista a complexificação do processo interventivo, no âmbito do treino das competências de comunicação, sociais e desenvolvimento de aptidões de leitura e escrita, foi utilizado o programa Bubble Dialogue.

O Bubble Dialogue permitiu, desenvolver a capacidade de compreensão e resposta adequada a situações sociais-problema, deficitárias no jovem em intervenção.

Foram trabalhadas formas linguísticas a usar nas diferentes aplicações pragmáticas, com vista ao reconhecimento e sua posterior utilização em contexto real. Em cada sessão foram apresentadas 2 situações-problema fictícias, normalmente com 2 personagens, em que o jovem escolhia o personagem que queria, ficando o outra da responsabilidade do terapeuta. O Jovem procedia ao preenchimento da sua parte no diálogo, seguindo-se a gravação áudio da leitura/interpretação do material escrito, sendo desta forma possível a correção dos aspetos prosódicos associados à leitura dos diálogos.

 Print Screen de situação no Bubble Dialogue

As situações apresentadas foram organizadas nos seguintes temas:

1-       Saudar, apresentar-se, agradecer e despedir-se;
2-       Pedir permissão;
3-       Pedir ajuda ou informações;
4-       Pedir desculpa;
5-       Transmitir um recado/ informação;
6-       Fazer um convite;
7-       Recusar;
8-       Resolver mal entendidos;
9-       Resolver um conflito;
10-   Resolver situações de agressão física e/ou verbal;
11-   Reconhecer, compreender e usar expressões irónicas, metafóricas e idiomáticas.

De uma forma geral, o jovem foi colaborante com as propostas efetuadas encontrando-se motivado para a sua realização. Foram verificados progressos: no reconhecimento de que um mesmo conteúdo pode ser expressado de forma diferenciada de acordo com a intenção do falante e sua relação com o interlocutor e o próprio contexto; no reconhecimento e aplicação, ainda que em contexto controlado, de regras e convenções sociais que determinam as distintas formas de expressão; na compreensão do papel das expressões metafóricas e irónicas como forma de comunicar uma mensagem.

Em síntese, o Bubble Dialogue revelou-se uma mais-valia ao permitir a simulação de situações de conversação passíveis de gerar stress no jovem com Asperger numa situação controlada, nas quais a ocorrência do erro consistia em mais uma situação de aprendizagem e, suscetíveis de serem generalizáveis.

O Bubble Dialogue pode ser descarregado através deste link.

Aconselhamos ainda a leitura do seguinte artigo (em inglês).

Computer mediated interaction in Asperger’s syndrome: the Bubble Dialogue program

Rita de Figueiredo Santos
(Lic. Educação Especial e Reabilitação/Psicomotricista/Especialização em domínio da Comunicação e Linguagem)

Actualizado em Sexta, 21 Outubro 2011 15:17